Título: Cidade de Vidro - Vol. 3, Série Os Instrumentos Mortais
Autora: Cassandra Clare
Ano: 2011
Número de Páginas: 476
Editora: Galera Record

Sinopse: Para salvar a vida de sua mãe, Clary precisa viajar à Cidade de Vidro, lar ancestral dos Shadowhunters (Caçadores de Sombras) - não importa que entrar a cidade sem permissão seja contra a lei e que desobedecer às leis possa significar a morte. Para piorar as coisas, ela descobre que Jace não a quer lá, e que Simon foi jogado na prisão pelos Shadowhunters, os quais estão profundamente desconfiados de um vampiro que suporta a luz do dia.
Enquanto descobre mais coisas a respeito do passado de sua família, Clary encontra um aliado no misterioso Shadowhunter Sebastian. Com Valentine juntando a força total de seu poder para destruir todos os Shadowhunters, a única chance destes sobreviverem é lutando ao lado de seus inimigos eternos. Mas conseguirão os Downworlders (Moradores do Submundo) e os Shadowhunters colocar seu ódio de lado a fim de trabalharem juntos? Enquanto Jace percebe exatamente quanto está disposto a arriscar por Clary, conseguirá ela dominar seus recém-descobertos poderes para ajudar a salvar a Cidade de Vidro - custe o que custar?
O amor é um pecado mortal e Clary e Jace descobrem que os segredos do passados podem ser fatais ao enfrentarem Valentine no terceiro volume da série The Mortal Instruments (Os Instrumentos Mortais), integrante da lista de mais vendidos do New York Times.



Obs: Pode conter spoilers para que não leu os outros volumes da série.

Minha Opinião: Antes de começar a escrever essa resenha, eu tive que parar para pensar em como descrever todas as emoções que vivi lendo este livro. Sou fã da série Os Instrumentos Mortais e já li Cidade de Vidro umas 4 vezes (me crucifiquem, mas não aguentei esperar sair aqui no Brasil ;P), além de já ter lido também o 4º volume - City of Fallen Angels - então já dá pra perceber que resumir esse terceiro volume não foi fácil. Simplesmente porque ele é o meu livro preferido em toda a face da Terra! *o*
E, quando cheguei em casa e meu exemplar estava lá esperando por mim, eu literalmente surtei de alegria! Então reli esse livro pela 4ª vez, mas pela primeira vez na edição brasileira lançada pela Galera Record, que fez um trabalho excelente mantendo as capas idênticas as originais (sério, sou apaixonada por esse efeito da capa).

Enfim, chega de surto e vamos à resenha, não é mesmo?
O começo do livro continua de onde Cidade das Cinzas parou. A mãe de Clary ainda está em coma no hospital, Valentim continua com seu plano para conseguir todos os Intrumentos Mortais e todos estão preparados para irem até Idris convocados pela Clave. Simon tenta se adaptar a sua nova condição de vampiro e Jace tenta de todas as forças impedir que Clary vá com os Lightwoods para Idris, pensando que o único modo de protegê-la é ela continuar em New York. Uma confusão durante a abertura do Portal acaba levando Simon junto com os Caçadores de Sombras para Alicante (a Cidade de Vidro já citada nos outros livros) enquanto Clary e Luke atravessam outro Portal e acabam parando lá também. Clary está em busca de algo para salvar sua mãe do sono profundo e acaba descobrindo muitas coisas sobre o seu passado, o de sua família, e consequentemente sobre a infância de Jace.
E isso é apenas o início dessa história incrível, que Cassandra Clare soube criar nos mínimos detalhes. Tudo aqui é importante, cada frase, cada capítulo pode ter um significado maior no futuro. E, com escrita gostosa e viciante de ler, Cassandra resolve muitos enigmas que pendiam desde o primeiro livro, deixando cada final de capítulo com uma surpresa para o próximo, prendendo o leitor em cada página.
"De repente, ela ficou ciente da proximidade dos dois; estava inclinada sobre ele, pressionando-o contra a bancada com o débil peso do próprio corpo.
- Solte a minha mão.
- Você realmente vai me bater se eu soltar? - Sua voz era áspera e suave, seus olhos brilhavam.
- Não acha que merece?"
A história em si, se baseia na busca de Valentim pelo Espelho Mortal, terceiro instrumento necessário para concretizar seu plano de destruição contra os Caçadores de Sombras que, de alguma forma, tiveram contato com os membros do Submundo. Com isso, temos batalhas sangrentas e emocionantes, de mexer com o sentimento de qualquer um.
Temos também novos personagens, como o misterioso Sebastian Verlac, que acaba sendo um personagem muito importante e surpreendente (pra quem não sabe, o personagem da capa é o Sebastian). Conhecemos também o Max, filho caçula da família Lightwood. Fofo, inteligente e fã de Jace, Max não chega a aparecer muito, mas tem um papel importantíssimo e de fazer o leitor tirar o lencinho do bolso. =X
Além desses, vemos também diversos outros personagens que não vou citar aqui, mas que farão certa diferença na continuidade da história. =)

Simon foi um dos personagens que me surpreendeu, pois seu amadurecimento dos outros livros para cá se tornou bem perceptível. Depois de sofrer muito nesse livro, ainda consegue encontrar espaço para um (ou dois?) romance de deixar qualquer garoto normal (ou seria mundano?) com inveja. ;P
Outra coisa interessante é que finalmente conseguimos entender o que se passa na mente de Valentim e, por incrível que pareça, ele não é todo o mal. Apesar de agir com crueldade, Valentim possui um propósito no que está disposto a fazer, e acredita acima de tudo que está certo, mesmo que seu ponto de vista esteja completamente errado.

A mudança de todos os personagens é visível, como falei antes de Simon, e quem também merece ser citada é Clary. Em Cidade de Vidro, vemos uma Clary mais decidida e menos medrosa, agindo com coragem e em busca do que acha que é certo. Suas decisões acabam servindo de ponto chave para decidir o futuro de todos que a cercam. Magnus Bane, o feiticeiro, está presente também e temos cenas muito divertidas dele com Alec. =P
E Jace... bom, Jace é sempre Jace. Mas aqui temos um Jace mais sofrido que nunca, corroído pelo amor impossível pela irmã, Clary, e principalmente pelo ódio que sente pelo pai, Valentim. Jace acha que é um monstro, uma experiência demoníaca de Valentim, e que seu amor por Clary é como um castigo imposto a ele por ser o que é. Mas apesar de tudo, Jace escolheu o lado certo e faz de tudo para ficar cara a cara com seu pai e destruí-lo.
E já que citei o amor entre Jace e Clary... é impossível não se apaixonar e suspirar pelas frases de efeito de Jace nesse livro. Pára tudo! Jace está mais frágil e romântico que nunca e seu jeito inquebrável e ao mesmo tempo sofrido é de partir o coração. *----*
Separei alguns quotes para vocês verem como não estou mentindo... (insira suspiros aqui)
"Você é minha irmã - disse, afinal. - Minha irmã, meu sangue, minha família. Eu deveria querer protegê-la - soltou uma risada silenciosa, sem qualquer humor -, protegê-la de garotos que quisessem fazer com você exatamente o que eu quero fazer.(...)
Ela não disse nada. Não queria pedir a ele para parar. Estava cansada de dizer não para Jace - de jamais se permitir sentir o que todo o seu coração queria sentir. Qualquer que fosse o custo.
Ele se abaixo, os lábios contra a bochecha dela, tocando-a levemente, calafrios fazendo todo o corpo de Clary tremer."

"Não dá para fingir - disse Jace, objetivo. - Eu amo você,e  vou amar até morrer, e se houver vida depois disso, vou amar também."
"Esta pode ser a última noite das nossas vidas, certamente a última remotamente normal. E tudo em que conseguia pensar era que queria estar com você.(...) No quadro geral das coisas, o quanto uma noite pode importar?"

"Meu coração me diz que esse é o maior e melhor sentimento que já tive. Mas a minha mente sabe a diferença entre querer o que você não pode ter e querer o que você não deveria querer. E eu não deveria querer você.(...)
Eu não culpo você se me odeia, eu gostaria que me odiasse. Enquanto eu ainda posso sonhar, vou sonhar com você."
(...)
"Não posso me desligar de você, Clary, desatar meu coração, meu sangue, minha mente ou qualquer outra parte de mim. E não quero."
(Carta de Jace para Clary - spin off)
Reviravoltas, batalhas incríveis de tirar o fôlego, descobertas, surpresas e, principalmente, respostas para muitas perguntas que tiraram o sono de muitos fãs. Chorei, choquei, sorri, suspirei (diversas vezes), surtei e me emocionei com este livro perfeito e sensacional. O final, digno de cinema, me deixou ávida pelo próximo volume e, apesar de já tê-lo lido, nada se compara do que tê-lo em mãos traduzidinho em português.
Portanto, Galera Record, não demore para lançar City Of Fallen Angels, ok? Os fãs aguardam ansiosamente. =D
Recomendadíssimo!! *---*

Atenção, spoiler!! Leia por sua conta e risco! =P
Como não vou conseguir me conter, deixo uma surpresinha para quem já leu Cidade de Vidro ou já passou do capítulo 15.
Em abril deste ano, a livraria Barnes and Noble lançou uma edição exclusiva e limitada de City Of Fallen Angels, contendo – na íntegra – a carta que Jace deixa para Clary após passarem a noite juntos em Idris. (clique aqui para ler a carta traduzida) e (aqui para ver a imagem da carta)
Clary,
Apesar de tudo, eu não posso suportar a ideia desse anel se perder para sempre, mais do que posso suportar a ideia de deixar você para sempre. E embora eu não tenha nenhuma escolha acerca de uma delas, pelo menos eu posso escolher sobre a outra. Eu estou deixando-lhe nosso anel de família, porque você tem tanto direito a ele quanto eu.

Estou escrevendo isso vendo o sol aparecer. Você está dormindo, sonhos movendo-se atrás de suas pálpebras inquietas. Eu gostaria de saber o que você esteve pensando. Eu queria poder deslizar em sua cabeça e ver o mundo do jeito que você vê. Eu gostaria de me ver do jeito que você vê. Mas talvez eu não queira ver isso. Talvez isso me faria sentir, ainda mais do que já sinto, que eu estou perpetuando algum tipo de grande mentira em você, e eu não poderia suportar isso.
Eu pertenço a você. Você poderia fazer qualquer coisa que quisesse comigo e eu deixaria. Você pode pedir qualquer coisa para mim e eu me desdobrarei tentando fazê-la feliz. Meu coração me diz que esse é o maior e melhor sentimento que já tive. Mas a minha mente sabe a diferença entre querer o que você não pode ter e querer o que você não deveria querer. E eu não deveria querer você.

Por toda a noite eu observei você dormindo, vi a luz do luar ir e vir, lançando sua sombra em seu rosto em preto e branco. Eu nunca vi coisa mais linda. Penso na vida que poderíamos ter se as coisas fossem diferentes, uma vida onde essa noite não fosse um evento singular, separado de tudo o que é real, mas todas as noites. Mas as coisas são diferentes, e eu não posso olhar para você sem sentir como se tivesse te iludido a me amar.

A verdade que ninguém está disposto a dizer em voz alta é que ninguém tem uma chance contra Valentim além de mim. Eu posso chegar perto dele como ninguém pode. Eu posso fingir querer me juntar a ele e ele vai acreditar em mim, até aquele último momento em que acabo com tudo isso, de uma forma ou de outra. Eu tenho algo do Sebastian, eu posso rastreá-lo até onde meu pai está se escondendo. E é isso que eu vou fazer. Então eu menti para você noite passada. Eu disse que só queria uma noite com você. Mas eu quero todas as noites com você. E é por isso que eu tenho que sair por sua janela agora, como um covarde. Porque se eu tivesse que dizer isso na sua cara, eu não poderia fazer-me ir.

Eu não culpo você se me odeia, eu gostaria que me odiasse. Enquanto eu ainda posso sonhar, vou sonhar com você.

- Jace

Níveis do vício: 

9 Comentários

  1. Ainda não li o primeiro livro por isso nem vou ler por causa dos spoilers, mas só pelo q vc diz me deixa com a maior vontadezinha de devorar esta série. Infelizmente me falta tempo, pois tenho o livro aki :/

    ResponderExcluir
  2. kkkkk
    Com seu "surto" lá em cima, você não precisa dizer mais nada!
    Ouvi falar muito bem dessa série, mas ainda não li, acredita?! Espero ler em breve, com certeza!
    Bjinhos,
    Náh - Blog Ler, Dormir, Comer...

    ResponderExcluir
  3. Posso dizer que surtei junto com você nessa resenha. AMEI Cidade dos Ossos e Cidade das Cinzas, ver sua resenha falando melhor ainda de Cidade de Vidro me deixou ainda mais louca pra ler esse livro o mais breve possível.

    ResponderExcluir
  4. Uau, que máximo, Tenho Cidade dos Ossos na minha prateleira e ainda não li por medo de gostar muito e não ter dinheiro pra comprar as continuações, por isso vou esperar mais um pouquinho pra ler, mas agora estou mais ansiosa do que nunca!
    Beijokas
    Jeh
    http://starbucksandbooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela resenha!
    Já li Cidade de Vidro, tenho que ler o resto da série =D
    Bjos!


    www.falandodelivros.com

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que demais! Já tinha ouvido falar dos livros, mas nunca tinha parado realmente pra ler algo sobre eles.
    Mas realmente não deveria ter lido, porque agora quero ler a serie D:
    Otima resenha, parabéns.

    Beijos!
    Vende-se Cadeiras - http://vendesecadeiras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Eu ainda não comecei a ler a série, mas tenho o 2º livro ahusahusahusuauhs ... Vamos ver se compro o primeiro livro pra depois adquirir esse, né!

    Beijos
    Não deixe de visitar o Blog Apaixonada por Romances

    ResponderExcluir
  8. Olá,vim conhecer seu cantinho e já estou super seguindo!
    Parabêns pelo Blog e sucesso pra ti!

    Se quiser me fazer uma visitinha,será muito bem vinda e se quiser seguir também,sinta-se em casa!
    Beijinhos no core!

    http://umamulherbemvestida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Não li nenhum livro da série, uma pena! Bjs, Rose.

    ResponderExcluir