Título: Cidades de Papel
Autor: John Green
Ano: 2013
Número de páginas: 366



Sinopse: “Na minha opinião, todo mundo tem seu milagre. Por exemplo, muito provavelmente eu nunca vou ser atingido por um raio, nem ganhar um prêmio Nobel, nem ter um câncer termina de ouvido. Mas, se você levar em conta todos os eventos improváveis, é possível que pelo menos um deles vá acontecer a cada um de nós. Eu poderia ter presenciado uma chuva de sapos. Poderia ter me casado com a Rainha da Inglaterra ou sobrevivido meses à deriva no mar. Mas meu milagre foi o seguinte: De todas as casas em todos os condados da Flórida, eu era vizinho de Margo Roth Spiegelman.”



Resenha: O livro é contado por Quentin, ou Q, e narra a mais louca aventura de sua vida, sua busca por Margo Roth Spiegelman.

Quentin e Margo eram amigos na infância e costumavam andar de bicicleta juntos, um dia eles encontraram um homem morto no parque e Margo começou a investigar. Depois desse dia eles nunca mais foram amigos.

Hoje eles seguem caminhos diferentes, Q é um nerd que adora sua rotina e tem dois melhores amigos, Ben e Radar, mesmo após todos esses anos ele ainda nutre uma paixão pela sua vizinha e “ex” amiga Margo, enquanto ela é a garota popular com histórias de aventuras fascinantes.
Mas tudo muda em cinco de maio.
Meus dias tinham uma agradável uniformidade. E eu sempre gostei disso (...). Não queria gostar, mas gostava. E assim, o cinco de maio poderia ter sido um outro dia qualquer – até pouco antes de meia-noite, quando Margo Roth Spiegelman abriu a janela sem tela do meu quarto pela primeira vez desde que me mandara fechá-la nove anos antes. Pág. 32
Margo chama Q para ajudá-la a se “vingar” de alguns supostos amigos e do namorado, Quentin todo certinho acha aquilo uma loucura, mas era Margo afinal e ele não poderia perder essa oportunidade. Então ele vai e durante aquela noite eles rodam a cidade deixando peixes em casas e em um carro, depilam a sobrancelha de um valentão e tiram foto de um menino semi nu fugindo da janela de sua “amante”, Q acha que aquela foi a melhor e mais maluca noite de sua vida, e e aí e que inimaginável ocorre, no dia seguinte Margo sumiu.

Margo tinha o costume de desaparecer e deixar pistas de onde encontrá-la, mas ninguém nunca as seguia, mesmo porque nem se davam conta de que estavam lá, e isso irritava e muito seus pais que acham uma vergonha tê-la como filha. 

Q tem certeza de que Margo quer que ele a encontre, já que a primeira pista que encontra está na persiana de sua janela, que pode ser vista apenas pela janela do quarto dele, uma foto de Woody Guthrie e em um dos livros favoritos dela.

Ele com a ajuda de Ben, Radar e Lacey acabam em cidades fantasmas, lojas abandonadas, mas apesar das pistas,  ela não parece querer ser encontrada. Até que Q acha um comentário no Omnictionary.
O artigo sobre Agloe não era modificado por ninguém havia quase um ano, mas existia um comentário recente de um usuário anônimo na página de discussões:
para sua informação, a quem Quer que edite isto - a População de agloe Vai ser de Um habitante até o dia 29 de Maio ao Meio-dia.
Reconheci o uso das maiúsculas imediatamente. Pág. 270
Cidades de Papel é um livro fascinante, com um enredo envolvente e engraçado. Fala sobre amizade, família e é claro amor, com um final surpreendente John Green me encantou mais uma vez.

Nível do vício:

12 Comentários

  1. Eu acabei de ler esse livro semana passada, gostei muito da história, mas os personagens me irritaram um pouco...mas o livro em si eu gostei muito..
    um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrs eu adorei os personagens, só me irritei com a Margo :(

      Excluir
  2. ounnn parece ser ótimooooooo!!!!! quero ler !!! Jhon Green escreve de um jeito que me deixa fascinada!!

    http://www.virtualparadisee.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ohhh! Quero ainda ler algum livro do autor.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ainda não tive a oportunidade de ter contato com esse livro, mas como gostei da experiência com o autor, acho que curtirei muito lê-lo.

    ResponderExcluir
  5. Oi Anne, não to afim de ler nada desse autor por enquanto, mas sua resenha me deixou curiosa. Vamos ver.

    Beijos, http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Anne!
    Ainda não li nenhum livro do autor, mas gostei da sua resenha!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  7. John não cansa de me surpreender!
    Ele consegue criar tramas com muitos pontos positivos: tem amor e amizade, tem personagens singulares (sempre!) e tem finais inesperados e perfeitos.
    Tenho o livro e estou prestes a começar a leitura. Espero adorar!
    bjs

    ResponderExcluir
  8. O John é um autor incrível, amei os livros que li dele. Mas, infelizmente, Cidades de Papel não está nessa lista. Eu estou louca para ler, mas não tive a oportunidade ainda. Sua resenha só me fez ficar com mais vontade de ler esse livro jhvjhbkjbjk Beijos

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente fiquei afastado das leituras por um longo tempo e por conta disto não conheço este autor mas, a sua resenha me deixou bem curioso.

    ResponderExcluir
  10. NECESSITO ler esse livro. Espero não me decepcionar como foi com o Teorema Katherine, adorei a resenha

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. gosto muito dos livror green eu vou ler teorema katerine!!!
    http://mergulhado-em-historias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir